Convulsão febril

convulsão febril

Quais são os riscos da convulsão febril?

Normalmente, a convulsão febril não traz riscos de vida e nem deixa sequelas neurológicas à criança. O stress acentuado também pode provocar uma crise nervosa intensa semelhante a uma convulsão.

Quanto tempo dura uma convulsão febril complexa?

Uma convulsão febril complexa dura mais de 15 minutos, mais uma vez ocorre dentro de 24 horas ou limita-se a um lado do corpo do seu filho. As convulsões febris ocorrem mais freqüentemente quando a temperatura do corpo rapidamente aumenta, geralmente até 24 horas após o início da febre e pode ser o primeiro sinal de que uma criança está doente.

Qual o tratamento para convulsões febris?

A maioria das convulsões febris apresenta resolução espontânea e rápida e não exige tratamento agudo ou em longo prazo com anticonvulsivante.

Como evitar que o meu filho tenha uma convulsão febril?

Se o seu filho tiver uma convulsão febril, você precisa manter a calma e lembrar que o quadro, apesar de assustador, costuma ser autolimitado e não causa mal à criança. Para evitar que qualquer complicação durante a crise, siga os seguintes passos:

Quais são os riscos da convulsão febril em crianças?

Falta de oxigênio no cérebro. A convulsão febril pode ocorrer nas primeiras 24 horas de uma febre em crianças e pode ser consequência de algumas doenças como otite, pneumonia, gripe, resfriado ou sinusite, por exemplo. Normalmente, a convulsão febril não traz riscos de vida e nem deixa sequelas neurológicas à criança.

Quanto tempo dura uma convulsão febril?

A duração de uma convulsão febril típica é de alguns minutos. Depois disso, a criança costuma ficar sonolenta e acorda aos poucos. Não recomenda-se colocar os dedos dentro da boca da criança para puxar sua língua, pois esta ação pode levar a lesão dos dedos de quem tentou apenas ajudar.

Quais são as convulsões febris?

As convulsões febris, também chamadas de ataques, são contrações bruscas e sem controle dos músculos e causadas por febre. Estas convulsões são mais comuns e inofensivas. Elas tendem a ocorrer quando a criança tem febre. A febre pode ser devido a uma infecção, virótica ou bacteriana, em qualquer lugar do corpo.

Qual a relação entre febre e convulsão?

As Convulsões febris resultam de um aumento da excitabilidade cerebral induzida pela febre. Não há relação entre intensidade de febre e convulsão. Mesmo febres baixas podem ocasionar crises convulsivas, na criança que já é predisposta.

Quais são os principais estímulos das convulsões febris?

As convulsões costumam ocorrer quando a temperatura está aumentando rapidamente, mas o principal estímulo é mesmo a temperatura e não a sua velocidade de subida. As convulsões febris são divididas em duas categorias: simples ou complexas.

Qual é o risco de convulsão febril?

O risco de convulsão febril parece estar aumentado após a administração de certas vacinas, incluindo a tríplice bacteriana (DTP), contra difteria, tétano e coqueluche, e a tríplice viral (MMR), contra sarampo, caxumba e rubéola. O risco absoluto, porém, é pequeno.

Qual é o grau de febre associado às convulsões febris?

Como já referido, o grau de febre associado às convulsões febris é variável e depende do limiar de cada criança. Na maioria das vezes, a temperatura precisa estar acima dos 39ºC, mas em cerca de 25% dos casos as convulsões surgem com febre entre 38 e 39ºC.

Qual é o período de risco para a ocorrência das convulsões febris?

O períodode risco para sua ocorrência é o momento de rápido aumento ou de defervescênciada febre, e muitos autores acreditam que a velocidade de instalação oudefervescência, e não a medida absoluta da temperatura, tenha maior correlaçãocom a ocorrência das convulsões febris, embora outros estudos demonstrem ocontrário.

Postagens relacionadas: