Olanzapina

olanzapina

Qual o mecanismo de ação da olanzapina?

O mecanismo de ação da olanzapina no tratamento da esquizofrenia e no tratamento de episódios de mania aguda ou mistos do transtorno bipolar é desconhecido.

Qual a diferença entre o placebo e a olanzapina?

A olanzapina foi superior ao placebo no período para recidiva, o principal desfecho clínico avaliado neste estudo. Portanto, a olanzapina foi mais efetiva do que o placebo na manutenção da eficácia em pacientes estabilizados por aproximadamente 8 semanas, e seguidos por um período de observação de até 8 meses.

Quais são as consequências clínicas da olanzapina?

As consequências clínicas são provavelmente limitadas, mas recomenda-se uma monitorização clínica e poderá, se necessário, considerar-se um aumento da dose de olanzapina. - Carbamazepina

Quais são as interações potenciais da olanzapina?

- Fluvoxamina Observações: Só foram efectuados estudos de interacção em adultos. Interações potenciais que afectam a olanzapina: Dado que a olanzapina é metabolizada pela CYP1A2, as substâncias que podem induzir ou inibir dum modo específico esta isoenzima podem afectar a farmacocinética da olanzapina.

Quais são os efeitos da olanzapina?

E dentro deste grupo, podemos encontrar olanzapina. A olanzapina é um dos principais neurolépticos atípicos, substâncias usadas para reduzir os sintomas da esquizofrenia e outros distúrbios psicóticos. É uma substância derivada de dibenzotiazepinas, que é comercializada sob a forma de comprimidos e comprimidos.

Quais são as interações potenciais da olanzapina?

- Fluvoxamina Observações: Só foram efectuados estudos de interacção em adultos. Interações potenciais que afectam a olanzapina: Dado que a olanzapina é metabolizada pela CYP1A2, as substâncias que podem induzir ou inibir dum modo específico esta isoenzima podem afectar a farmacocinética da olanzapina.

Quais são as consequências clínicas da olanzapina?

As consequências clínicas são provavelmente limitadas, mas recomenda-se uma monitorização clínica e poderá, se necessário, considerar-se um aumento da dose de olanzapina. - Carbamazepina

Qual a diferença entre o placebo e a olanzapina?

A olanzapina foi superior ao placebo no período para recidiva, o principal desfecho clínico avaliado neste estudo. Portanto, a olanzapina foi mais efetiva do que o placebo na manutenção da eficácia em pacientes estabilizados por aproximadamente 8 semanas, e seguidos por um período de observação de até 8 meses.

Quais são os efeitos da olanzapina?

Eosinofilia assintomática foi ocasionalmente observada. Nos estudos clínicos com pacientes idosos com psicose associada à demência, os efeitos indesejáveis muito comuns (> 10%) relacionados ao uso da olanzapina foram marcha anormal e queda.

Qual a eficácia da olanzapina oral no tratamento da esquizofrenia?

A eficácia da olanzapina oral no tratamento da esquizofrenia foi estabelecida em 2 estudos controlados de curto prazo (6 semanas) de pacientes internados, que preenchiam os critérios do DSM III-R (Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais) para esquizofrenia.

Quais são as interações potenciais da olanzapina?

- Fluvoxamina Observações: Só foram efectuados estudos de interacção em adultos. Interações potenciais que afectam a olanzapina: Dado que a olanzapina é metabolizada pela CYP1A2, as substâncias que podem induzir ou inibir dum modo específico esta isoenzima podem afectar a farmacocinética da olanzapina.

Qual a diferença entre o placebo e a olanzapina?

A olanzapina foi superior ao placebo no período para recidiva, o principal desfecho clínico avaliado neste estudo. Portanto, a olanzapina foi mais efetiva do que o placebo na manutenção da eficácia em pacientes estabilizados por aproximadamente 8 semanas, e seguidos por um período de observação de até 8 meses.

Postagens relacionadas: